Croft Vintage 2011 com 97 pontos pela Wine Spectator

19/11/2013

   
 

A Wine Spectator reconhece a Croft como uma das casas de primeira linha produtoras de vinho do Porto, atribuindo ao Croft Vintage 2011 97 pontos e conferindo o 13º lugar no Top 100 dos melhores vinhos do mundo, que acaba de ser revelado. 

A Croft vê assim reconhecida a sua notoriedade como produtora de vinhos de grande qualidade. Este reconhecimento é também a confirmação de que a aposta em vinho do Porto Vintage, de casas reconhecidas, é um excepcional e garantido investimento.

Sempre aguardado com grande expectativa o Top 100–Wines of the Year, da Wine Spectator, comemora este ano o seu 25º aniversário de existência. Na lista apenas constam quatro vinhos portugueses sendo o primeiro ocupado pelo Croft Vintage 2011 em 13º, em 37º lugar está o Quinta do Passadouro 2010, no 81º o Quinta do Crasto reserva Old Vines 2010 e no 87º o Graham Tawny 20 Year Old. 

Segundo Kim Marcus, provador da Wine Spectator, o Croft Vintage 2011 é: ‘Efusivamente suculento, rico e concentrado, mostrando abundancia de sabores crocantes, especiarias e frutos silvestres, groselha e tarte de ameixa. Notas de chocolate com infusão de laranja e um marcado carácter exótico e mocha dominam o final.’

2011 foi um ano vitícola quase perfeito no vale do Douro tendo culminou numa extraordinária vindima com a produção de vinhos de qualidade excepcional. No dia 23 de Abril do corrente ano, a Croft anunciou a sua decisão de lançar o clássico Vintage Croft. Para Adrian Bridge, Director-geral: "O reconhecimento pela Wine Spectator da excepcionalidade do Vintage Croft 2011 é muito reconfortante e é a prova de que a Croft está na primeira linha das casas clássicas de vinhos do Porto. O Vintage Croft é um dos mais musculados e poderosos dos Vintages Croft recentes, sendo um investimento seguro.”
 
A vindima começou na Quinta da Roêda no dia 10 de Setembro com excelentes condições. As fermentações foram longas, permitindo uma completa e equilibrada extracção, os mostos nos lagares da quinta apresentavam uma excepcional e intensidades de cor e aroma. Para David Guimaraens, Enólogo: "As antigas parcelas da histórica Quinta da Roêda tiveram um desempenho particularmente notável o que conferiu uma adicional camada de densidade e profundidade de sabor. A qualidade dos taninos é também excelente, sedosos e muito bem integrados mas com uma garra poderosa no final.”