O Retorno à Propriedade Familiar



   
 

Nesta altura a empresa Gilbey’s, incluindo a casa Croft, foi incorporada pelo grande grupo internacional de comércio de bebidas IDV, que mais tarde passou para outra designação - a Diageo.

Porém, em 2001, a Croft voltou para as mãos da família. Adrian Bridge, diretor da distinta empresa familiar de produção de vinho do Porto, então conhecida como Taylor Fonseca, garantiu a compra do negócio Croft à empresa Diageo.
 
Ao mesmo tempo, a produção de Sherry pela empresa foi garantida com a aquisição da ilustre casa González Byass, tendo o Brandy Croft permanecido detido pela Diageo.